Página inicial / Infraestrutura

Fazenda Paiaguás

Conheça mais sobre esta Fazenda

Situada em Diamantino, Mato Grosso (MT) (Lat. 14°04’47,915”S e Long. 57°27’20,084”W), a Fazenda Paiaguás possui 43.934 hectares de área total, sendo, 28.124 ha próprios e 15.810 ha arrendados. Sua área plantada na safra 2017/18 foi de 67.174 hectares. 

Onde estamos

Saiba como chegar à Fazenda Paiaguás

Saindo do aeroporto de Diamantino (MT) pela rodovia pavimentada BR-364, seguir por aproximadamente 140 km, passar por Deciolândia (MT) e converter  no trevo após o Armazém da V-Agro à direita. Percorrer por 21 km, virar à direita e seguir por uma estrada não pavimentada até a sede, por mais 6 km.

Rodovia BR 364, s/n, Km 754 km 21 à direta. Deciolândia. Diamantino (MT). CEP 78.400-000

 



Vista Aérea da Fazenda Paiaguás


Histórico, projetos e pesquisa

Histórico

A Fazenda Paiaguás foi adquirida em agosto de 2000 e nessa época plantava 5.400 ha de algodão e 3.600 ha de soja. Contava com uma estrutura de vila de moradores, com 30 casas, dois alojamentos, barracão de oficina e posto de combustível. Hoje, possui 293 colaboradores fixos, duas sedes com alojamentos, residências, refeitórios, clubes, campos de futebol, áreas de convivência, armazéns, algodoeiras, barracões de oficinas e máquinas, escritórios com balanças, almoxarifados, barracões de defensivos, postos de abastecimento de combustíveis, barracões de lubrificantes e pista de pouso pavimentada.

Projetos Sociais

A Fazenda Paiaguás desenvolveu ações sociais na creche do Distrito de Progresso, com envolvimento de 180 crianças, através de distribuição de materiais pedagógicos, brinquedos educativos e comemorações de datas como Páscoa e Dia das Crianças. Atualmente, 16 voluntários da Fazenda realizam manutenção da estrutura de uma escola da comunidade de Deciolância, beneficiando 140 alunos. Na sede social da Fazenda são promovidas ações com os residentes da vila de moradores, por meio de palestras de saúde e bem-estar.

Pesquisa

A área de pesquisa da Fazenda Paiaguás representa quase 104 ha destinados a ensaios com as culturas do algodão, da soja, do milho e do girassol. Além de ensaios fitotécnicos avaliando adaptabilidade e estabilidade de genótipos, vem sendo realizados estudos de refinamento do modelo de adubação nitrogenada, manejo de adubação potássica e manejo de culturas de cobertura em áreas de solo arenoso.