Página inicial / Tecnologia e Pesquisa / Pesquisa na SLC Agrícola

Pesquisa na SLC Agrícola

Tecnologia e informação

A utilização de novas tecnologias sempre foi uma prática na SLC Agrícola e visa acompanhar a evolução da agricultura e buscar cada vez mais melhorar as práticas agrícolas e o desempenho produtivo das Fazendas dentro das bases da sustentabilidade. Os avanços tecnológicos requerem, além de insumos, um constante aperfeiçoamento técnico das pessoas, o que configura um cenário de profissionalização da agricultura brasileira com uma visão de futuro do negócio agrícola.

A geração de tecnologias e de informações em áreas de pesquisa próprias é um diferencial no processo produtivo da SLC Agrícola, nas quais são testados e estudados diversos assuntos relacionados às culturas agrícolas, suas peculiaridades e comportamentos em condições locais e regionais. As informações geradas são importantes para consolidar conhecimentos e aperfeiçoar tecnologias que servem de base para a elaboração e definição do planejamento agrícola.

História e evolução da pesquisa na SLC Agrícola

Desde a aquisição das primeiras Fazendas do Grupo SLC, surgiu a necessidade e o desejo de conhecer e entender o comportamento das culturas nas diferentes regiões do Brasil e os seus potenciais. Nesse contexto, a primeira área experimental foi criada na Fazenda Pamplona (GO) no ano de 1988 que gerou informações importantes e expandiu os conceitos da experimentação agrícola para as demais unidades da empresa. Atualmente, as áreas de pesquisa estão em 13 Fazendas, somando 28 anos de experiência e evolução contínua. As informações geradas fundamentam as estratégias para a elaboração dos planejamentos agrícolas das fazendas e norteiam as estratégias futuras da Empresa.

Evolução da Área destinada à Pesquisa – Histórico de cultivo

Estrutura da Pesquisa

Profissionais envolvidos

A pesquisa está inserida no setor de Planejamento Agrícola da Área de Produção. A pesquisa é coordenada nas regiões Centro-Oeste e Nordeste por profissionais sediados na matriz da SLC Agrícola, em Porto Alegre (RS) que são responsáveis pelo planejamento, elaboração, acompanhamento das atividades e avaliação dos resultados. Nas Fazendas, a execução e condução são realizadas por um Coordenador de Pesquisa e seus auxiliares e a tabulação, o processamento, a análise estatística e a geração de relatórios técnicos são realizadas por técnicos sediados na Fazenda Pamplona, em Cristalina (GO).

No total, 36 profissionais integram a equipe, sendo 29 nas Fazendas, entre coordenadores e auxiliares e sete profissionais, entre especialistas, mestres e doutores na estrutura corporativa.

Unidades

As áreas de pesquisa estão distribuídas em 12 Unidades de produção da SLC Agrícola. A área física de ensaios conduzidos na safra 2016/17 foi de 1.292 hectares, sendo a área plantada de 1.564ha, que compreende a safra + 2ª safra num total de 316 ensaios.

Conheça a localização de cada Unidade de pesquisa e principais informações:

Experimentos em 2015/16

Na safra 2015/16 foram instalados 268 experimentos com a seguinte distribuição nas Fazendas:

Principais culturas estudadas

Além de algodão, milho e soja, também são realizados experimentos com outras culturas como sorgo, girassol, trigo, mamona e plantas de cobertura como milheto, braquiária, crotalária, etc. a avaliação contínua de novas possibilidades é fundamental na busca de diversificação e rotação de culturas e qualidade do solo.

 

Principais experimentos

Dentre os assuntos avaliados e estudados nas áreas, maior ênfase é dada a experimentos que comparam o desempenho de genótipos de soja, milho e algodão em diferentes espaçamentos, população, épocas de plantio, biotecnologias, além de experimentos com fertilidade do solo e nutrição, manejo de solo e culturas de cobertura, fungicidas, inseticidas, herbicidas, inoculantes, nematicidas, agricultura de precisão, etc.

Experimentos de longa duração

Manejo de solo e culturas de cobertura

Primeiro experimento instalado na SLC Agrícola em 1992 na Fazenda Pamplona (GO) com 24 anos de condução. Também conduzido em outras Fazendas.

Manejo de solo e correção de perfil com fósforo

Experimento conduzido na fazenda Pamplona (GO) de 2007 a 2013 com 6 anos de condução. Também conduzido em outras Fazendas.

Correção de solo-calagem e saturação por bases

Experimento conduzido na Fazenda Pamplona (GO) de 1995 a 2013 com 18 anos de condução. Também conduzido em outras Fazendas.

Experimentos anuais

Genótipos de soja

Experimentos anuais que comparam o desempenho de variedades e biotecnologias desde 1992.

Convencionais
RR, Intacta,
etc.

Híbridos de milho

Experimentos anuais que comparam o desempenho de híbridos e biotecnologias desde 1989.

Convencionais,
PRO, PRO2,
PRO3, Herculex,
Viptera, YieldGard,
Leptra, etc.

Genótipos de algodão

Experimentos anuais que comparam o desempenho de variedades e biotecnologias desde 1998.

Convencionais,
WideStrike, RR, LL,
GlyTol, B2RF, RX,
TN, GLT, etc.

Potencial produtivo das culturas

Resultados obtidos em áreas experimentais e em lavouras comerciais em diversas regiões do Brasil mostram que o potencial produtivo das culturas de maior expressão como soja, milho e algodão ainda é um objetivo a ser alcançado para aumentar a média de produtividade do país.

Resultados relevantes obtidos na pesquisa

Os resultados obtidos nas áreas de pesquisa da SLC Agrícola também desafiam as lavouras comerciais e indicam o potencial produtivo das culturas em cada região em que as Fazendas estão localizadas.

Híbridos de milho 2ª safra

A condição climática com regime pluviométrico acima de 1300 mm anuais permite que sejam cultivados no mesmo ano agrícola o dueto soja+milho 2ª safra no estado do Maranhão com produtividades satisfatórias em lavouras comerciais, gerando maior eficiência e lucratividade da lavoura.

Culturas de Cobertura e melhoria da qualidade do solo

A produção de culturas de cobertura com o objetivo de melhorar o aporte de material orgânico e proteção do solo tem mostrado efeitos positivos nas propriedades químicas, físicas e biológicas do solo e no desenvolvimento da cultura sucessora.

A manutenção de palha de gramíneas como cobertura de solo tem sido fundamental para implantar a semeadura direta com sucesso e reduzir ao mínimo o manejo de solo com revolvimento garantindo maior sustentabilidade das lavouras em longo prazo.